Sobre nós

O dia 2 de dezembro de 2012 marca o 110o. aniversário de fundação do que hoje se conhece como a Organização Pan-americana da Saúde (OPAS). Nos 110 anos desde sua criação, a região das Américas se transformou em líder mundial na eliminação de doenças importantes como varíola, poliomielite, sarampo, rubéola e síndrome de rubéola congênita. A expectativa de vida se expandiu em quase três décadas – de 50 para 79 anos – enquanto a mortalidade materna e infantil decresceu de forma dramática. As brechas entre ricos e pobres diminuiram, e o acesso à água segura e ao saneamento melhoraram entre as populações urbanas e rurais. A cooperação pan-americana foi o elemento propulsor desses e de outros progressos em matéria de saúde.

Os fundadores da Organização – representantes de 11 nações das Américas – se reuniram em dezembro de 1902 na Primeira Convenção Sanitária Internacional das Repúblicas das Américas que teve lugar no Hotel Willard em Washington, D.C. Seu objetivo era forjar um modelo pan-americano de combate às ameaças internacionais de saúde que incluiam febre amarela, malária e tuberculose. O resultado da conferência foi uma nova Repartição Sanitária Internacional, precursora daquela que se transformou na mais antiga agência internacional de saúde em contínuo funcionamento do mundo, a Repartição Sanitária Pan-americana (o secretariado da atual Organização Pan-americana da Saúde em Washington, D.C.).

Em 1924, as funções e responsabilidades da Repartição foram expandidas pelo Código Sanitário Pan-americano, que foi subscrito por 18 países das Américas em Havana, Cuba. Em 1949, a Repartição se tornou o Escritório Regional da Organização Mundial da Saúde e foi integrada ao sistema das Nações Unidas. Em 1950, assinou um acordo formal de entendimento com a Organização dos Estados Americanos e se tornou o orgão especializado em Saúde do sistema interamericano.

Em 1958, a Repartição foi renomeada como Organização Pan-americana da Saúde. Desde então, além de prover liderança para a eliminação da varíola, pólio, sarampo, rubéola e síndrome de rubéola congênita, a OPAS forneceu cooperação técnica chave para prevenir, controlar e eliminar doenças tanto transmissíveis quanto não-transmissíveis, promover a saúde, estimular a pesquisa, educar e treinar trabalhadores de saúde e informar profissionais e o grande público sobre os aspectos científicos, técnicos e sociais da saúde. Ao longo dos anos, o enfoque da OPAS se ampliou de combater a doença a melhorar a saúde de todas as pessoas, com ênfase especial na redução das brechas e iniqüidades.

Como está consagrado em sua constituição, a missão primordial da OPAS permanece: ajudar seus países membros a trabalhar juntos parta combater a doença, prolongar a vida e promover a saúde física e mental das pessoas através do hemisfério ocidental.

O 110o. aniversário da OPAS será celebrado durante a 28a. Conferência Sanitária Pan-americana, em setembro de 2012.