(English) NCDs in the Americas: Building a healthier future: 51 Directing Council

Entrevista com o dr. Marcos Espinal, gerente da Área de Vigilância, Controle e Prevenção de Doenças, OPAS/OMS

Países das Américas acertam plano para reduzir a malária, prevenir sua reintrodução e manter conquistas

Uma estratégia e um plano de ação para redobrar os esforços para a redução da malária, prevenir sua reintrodução e manter as conquistas alcanças foram aprovados pelas autoridades de saúde dos Estados Membros da Organização Pan-americana da Saúde (OPAS), no âmbito do 51o. Conselho Diretor.

Em 2009, foram notificado na região 564.451 casos confirmados de malária e 118 mortes, o que representa uma redução de 54% e 69%, respectivamente, em relação ao ano 2000. Os resultados são consequência de uma série de estratégias e programas, como o Plano Estratégico Regional contra a Malária nas Américas 2006-2010.

Além disso, foram alcançadas as metas de redução da carga da malária em 18 dos 21 países da Região onde a doença é endêmica. Nove desses países notificaram reduções de mais de 75%, com o que se cumprem as metas estabelecidas pela aliança Fazer Retroceder a Malária e os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio das Nações Unidas.

(English) (Español) Entrevista a la Dra. Maria Isabel Rodriguez, Ministra de Salud, El Salvador

Prevalência de doença renal crônica preocupa a El Salvador


A prevalência da doença renal crônica em algumas áreas de El Salvador foi um dos temas abordados pela Ministra de Saúde Pública e Assistência Social do país, doutora María Isabel Rodríguez, e a diretora da OPAS, doutora Mirta Roses, durante o 51o. Conselho Diretor da Organização.

No encontro, a doutora Rodríguez apresentou à doutora Roses a primeira edição da Revista Salud do Ministério de Saúde e da Secretaria de Cultura da Presidência da República. A revista, que ainda não circulou no país, contém um artigo da doutora Roses, que além disso recebeu uma publicação com a prestação de contas do Ministério salvadorenho.

Aprovada estratégia para criar programas nacionais de cuidado da epilepsia


Os países das Américas trabalharão, com o apoio da Organização Pan-americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS), na criação de programas nacionais para cuidar da epilepsia, uma desordem neurológica que afeta a aproximadamente 50 milhões de pessoas no mundo, 5 milhões das quais vivem nas Américas.

As delegações dos Estados Membros da OPAS aprovaram hoje uma estratégia e um plano de ação sobre a epilepsia, durante a reunião do 51o. Conselho Diretor da Organização.

Entrevista com Dag Revke, programa de saúde mental e abuso de substâncias, OMS

Plano de ação para reduzir o consumo nocivo do álcool

Os ministros de Saúde discutiram, durante a sessão matinal do 51o. Conselho Diretor, a proposta do Plano de Ação para Reduzir o Consumo Nocivo do Álcool, que busca diminuir os níveis de consumo per-capita e reduzir os danos relacionados com o álcool.

De acordo com dados da OMS, o consumo de álcool foi o principal fator de risco para doença e morte nas Américas em 2004, e foi responsável por mais de 347 mil mortes. O padrão de consumo mais comum neste hemisfério é o padrão mais arriscado: episódios isolados de grande consumo, principalmente por homens. Isso leva a problemas agudos e crônicos de saúde que incluem ferimentos, problemas de saúde mental, câncer, doença cardíaca, hipertensão e diabetes. Também afeta negativamente a outras pessoas, como as vítimas de acidentes causados por motoristas embriagados e de violência relacionada com o álcool.

Entrevista com o Dr. Hubert Minnis, Ministro de Saúde das Bahamas

Delegados aprovam estratégia para tornar as substâncias psicoativas uma prioridade da saúde pública


As delegações dos países das Américas aprovaram esta manhã o plano de ação para incluir o consumo de substâncias psicoativas nos planos nacionais como uma prioridade da saúde pública.

O Plano de Ação sobre o Uso de Substâncias Psicoativas e a Saúde Pública busca reduzir a carga do uso de drogas e reforçar a responsta integrada de saúde pública.

Nesse sentido, medidas preventivas deveriam cobrir a detecção, intervenção precoce, tratamento, cuidado, reabilitação, reintegração social e serviços de apoio para pessoas com problemas relacionados ao uso de substâncias psicoativas.

Veja a agenda desta quinta-feira do 51o. Conselho Diretor da OPAS


Durante o quarto dia do 51o. Conselho Diretor da OPAS, as autoridades da saúde das Américas e funcionários da OPAS/OMS abordarão os seguintes temas, entre outros:

  • Plano de ação para reduzir o consumo nocivo de lcool
  • Plano de ação sobre o consumo de substâncias psicoactivas
  • Estratégia e Plano de ação sobre a epilepsia
  • Estratégia e Plano de ação sobre a malária

Outros assuntos previstos para a sessão de hoje são a aprovação do Plano de Ação para Acelerar a Redução da Mortalidad Materna nas Américas, apresentado na terça-feira, e da Estratégia e Plano de Ação sobre Mudança Climática, que se discutiu ontem.

O Conselho Diretor aprovou ontem a Estratégia e Plano de Ação sobre Saúde Urbana, a Estratégia e Plano de Ação sobre eSaúde, e o Plano de Ação sobre a Segurança no Trânsito, entre outros temas.

Diretora da OPAS visitará a Espanha para participar de reuniões internacionais e encontros com autoridades de saúde


Em reunião com a directora de Saúde Pública e Sanidade Exterior da Espanha, Carmen Amela, a diretora da OPAS, doutora Mirta Roses, definiu a agenda de sua visita a Barcelona e Madrid, onde participará de vários eventos entre 13 e 21 de outubro.

Autoridades de saúde aprovam estratégia para reduzir o número de feridos em acidentes rodoviários

Autoridades de saúde da região aprovaram um novo plano de ação sobre a segurança no tráfego para reduzir o número de vítimas de traumatismo durante acidentes de trânsito, uma das primeiras causas de mortalidade nas Américas entre pessoas de 5 a 14 anos de idade, e a segunda entre pessoas entre 14 e 44 anos.

O plano aprovado durante o 51o. Conselho Diretor da Organizaão Pan-americana da Saúde (OPAS/OMS), busca que os países adaptem a legislação sobre os principais fatores de risco: velocidade, consumo de álcool, uso do cinto de segurança, de capacetes e assentos de segurança para crianças.

A mudança climática na agenda de debates do 51o. Conselho Diretor


As delegações dos países das Américas discutiram esta tarde a Estratégia e Plano de Ação sobre Mudança Climática, uma série de ações para cooperar com os Estados na preparação de ajustes e mitigação dos efeitos da mudança climática sobre a saúde.

As autoridades de saúde das Américas debateram sobre como reforçar os sistemas de saúde e tomar outras medidas em resposta à mudança climática e seu impacto sobre a saúde pública.

(English) Interview with Dr. Najeeb Al-Shorbaji, Director for Knowledge, Management and Sharing, WHO

Entrevista com Marcelo D’Agostino, Gerente da Área de Gestão do Conhecimento e Comunicação da OPAS

Conselho Diretor aprova a Estratégia e Plano de Ação de eSaúde

O 51o. Conselho Diretor aprovou esta tarde a Estratégia e Plano de Ação para eSaúde, que busca melhorar o acesso aos serviços de saúde e sua qualidade, através do uso de tecnologias de informação e comunicação. Entre outras coisas, a estratégia procura que, ao aplicar essas tecnologias à saúde, melhore a eficiência no uso do tempo e dos recursos, e aumentem os insumos para a tomada de decisões complexas, por exemplo sobre o tratamento de um paciente.

A diretora da Organização Pan-americana da Saúde, doutora Mirta Roses, lembrou o papel dessa estratégia para consolidar as iniciativas regionais, de forma a evitar a duplicação de esforços e de assegurar a optimização de recursos humanos e financeiros. Referiu-se especificamente à integração para o desenvolvimento da estratégia de instituições como CEPAL, SELA e a Organização de Estados Americanos, OEA.

Por sua parte, o Gerente da Área de Gestão do Conhecimento e Comunicação da OPAS, Marcelo D’Agostino, destacou a necessidade de assimilar o que se requer de leis, normais e padrões para o intercâmbio de informações a nível nacional e internacional, quer dizer, para assegurar a interoperabilidade. Também argumentou que se deve trabalhar na ‘adaptabilidade’ para que as pessoas aceitem esse novo esquema de relacionamento médico-paciente. “É importante trabalhar junto aos organismos e instituições responsáveis pela infraestrutura tecnológica para assegurar a acessibilidade”, afirmou D’Agostino.

25o. aniversário do Programa de Saúde Pública Internacional

Programa Internacional de Saúde da OPAS comemora 25 anos

O 51o. Conselho Diretor da OPAS observou a comemoração dos 25 anos do Programa de Saúde Internacional da Organização durante a sessão da tarde desta quarta-feira.

A Ministra de Saúde de El Salvador, doutora María Isabel Rodríguez, que foi a primeira coordenadora do programa, disse que ele contribuiu “não apenas para o enriquecimento e reorientação de jovens profissionais de saúde na região, mas também para a geraçao de novo conhecimento em saúde internacional e particularmente para aprofundar uma de suas práticas fundamentais: a cooperação técnica em saúde.

A diretora da OPAS, doutora Mirta Roses, disse que “as contribuições do programa ao desenvolvimento de um modelo conceitual para a saúde internacional, o desenho e a implementação de módulos educativos, a educação continuada de seus participantes, e a execução de projetos nos países têm sido de inestimável valor”.

Aprovada a Estratégia e Plano de Ação em Saúde Urbana


Os países da Região das Américas, com o apoio da OPAS/OMS, desenvolverão ações para atender às necessidades sanitárias da população das cidades, que representam quase 80% da população total.

Assim se manifestaram hoje os Estados Membros da Organização Pan-americana da Saúde, através da aprovação de uma estratégia e plano de ação sobre saúde urbana, durante o 51o. Conselho Diretor da OPAS, que acontece em Washington, DC, até o dia 30 de setembro.