O Conselho Diretor da OPAS elegeu ao Tribunal de Contas da Espanha como novo auditor externo

O 51º Conselho Diretor elegeu esta manhã ao Tribunal de Contas da Espanha como novo auditor externo da Organização Pan-americana da Saúde (OPAS), para os biênios 2012-2013 e 2014-2015.

Na resolução se agradeceu ao Controlador e Auditor Geral do Reino Unido da Grã Bretanha e Irlanda do Norte pelos muitos anos de serviços prestados à OPAS, em especial “pelo apoio na recente e bem sucedida adoção das Normas Internacionais de Contabilidade para o Setor Público por parte da Organização”.

As delegações do Brasil e Porto Rico integraram a mesa de honra para a eleição do auditor externo. País por país, os votos foram depositados em uma urna de vidro colocada no centro da sala de conferências. Votaram 33 Estados Membros, 23 pelo Tribunal de Contas da Espanha e 10 pelo Tribunal de Contas da Alemanha.

Em outubro de 2010 foi enviada uma nota verbal aos Estados Membros, Estados Participantes e Membros Associados, explicando o processo para propor candidaturas. A OPAS recibeu três propostas de candidatos: a Bolívia propôs o Controlador e Auditor Geral da Índia; o Panamá, o Tribunal de Contas da Espanha, e o Peru o Tribunal de Contas da Alemanha. As propostas de Panamá e Peru incluiram a documentação completa, conforme o solicitado, enquanto a Bolívia somente enviou uma carta do Ministério da Saúde, sem outros documentos requeridos até a data da votação.

Por esa razão, no plenário, somente se escutaram as apresentações de dois candidatos: pelo Tribunal de Contas da Espanha, Ciriaco de Vicente, e pelo Tribunal de Contas da Alemanha, Dieter Engels.

Segundo o Regulamento Financeiro da OPAS, o Conselho Diretor pode nomear a um auditor externo de prestígio internacional para revisar as contas da Organização.

 
As respostas estão fechadas, mas você pode trackback de seu próprio site.